domingo, 15 de novembro de 2009

Quem precisa de título?

Eu tenho um sério problema. E é com literatura brasileira e portuguesa. Acho chato. Terrivelmente chato. Passamos anos engolindo tudo isso nas aulas de português e literatura, e na época que deveríamos ler aproximadamente um milhão de livros, não temos nem um pouco de vontade de ler. E essa época é a de vestibular. Eu me encaixo nesse grupo.

Passei toda minha vida lendo Harry Potter, e nas semanas de mais inocência, Pedro Bandeira. Cara, eu gostei dele por alguns dias. Depois desses dias, era puro ódio. Meus coleguinhas pré-adolescentes que curtiam ler alguma coisa, liam Pedro Bandeira. Eu lia Clarice Lispector e Luis Fernando Veríssimo. Clarice é maravilhosa para quem conhece, com certeza. Eu a amarei até o fim da minha vida e blá blá blá. Mas acaba aí. Às vezes eu me arrisco com alguma coisa ou outra do Mário Quintana. Eu tenho paciência com ambos. Fora a paciência, tenho admiração.

Machado de Assis? Guimarães Rosa? Graciliano Ramos? Sempre ouvi falar deles, e sempre bastei-me aos trechos dos livros didáticos. Esses dias me deu vontade de ler Memórias Póstumas de Brás Cubas. E estou tentando ler. Eu não tenho paciência. Abri esse livro, e quando me dei por conta do meu entusiasmo, já tinha terminado a leitura de uma HQ de O Curioso Caso de Benjamin Button:


E de X-Men #95 (nessa manhã de domingo):

Deus sabe como eu me esforço, mesmo não tendo nada a ver com essa situação.

Nessas situações, dar uma cagada no maiô é muito fácil.

Um comentário:

Anônimo disse...

Desisti.