sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cia. Vera Cruz voltará a produzir filmes

Além de oferecer o Centro de Formação Audiovisual, projeto da prefeitura visa devolver a São Bernardo do Campo status de polo cinematográfico

O complexo fica localizado na Av. Lucas Nogueira, Jardim do Mar, região central de São Bernardo. (Foto: Folha de S.Paulo)

 O estúdio Vera Cruz, atualmente usado para feiras e eventos, está passando por um projeto de revitalização. Fundada em 1949 por Franco Zampari e Francisco Matarazzo Sobrinho, a Cia. Cinematográfica Vera Cruz produziu e coproduziu mais de quarenta títulos nas décadas de 50 e 60. Dentre eles, Sinhá Moça, de Tom Payne e Oswaldo Sampaio, e O Cangaceiro, de Lima Barreto – primeiro sucesso internacional e um dos maiores clássicos do cinema brasileiro, ganhador do prêmio de melhor filme de aventura no Festival de Cannes de 1953. O estúdio faliu em 1954, quando Zampari passou suas ações e o patrimônio do estúdio ao Banco do Estado de São Paulo para pagar uma dívida de CR$ 164 milhões. Consequência da falta de um sistema de distribuição próprio da produtora, que só não foi liquidada pelo banco porque o cineasta Walter Hugo Khouri, junto de seu irmão, comprou aproximadamente 90% das ações. Apesar de não ter fechado, o Vera Cruz foi produzindo cada vez menos, conforme sua administração passava de mão em mão. Antes do atual revigoramento, a companhia já havia sido alvo de empreitadas semelhantes, mas fracassadas, como o Projeto Nova Vera Cruz, nos anos 90, parceria da Secretaria de Estado da Cultura, da Fundação Padre Anchieta e da Prefeitura de São Bernardo.

Em entrevista ao Garoto Desocupado, a prefeitura, através da Secretaria de Cultura contou sobre os planos do “Projeto de Recuperação dos Estúdios”. Confira:

O Vera Cruz vai virar centro de oficinas culturais?

Não será especificamente um centro de oficinas culturais, mas também proporcionará que aconteçam as oficinas dentro de um projeto pedagógico relacionado ao audiovisual, planejado e executado pelo Centro de Formação Audiovisual, um dos programas do Projeto de Recuperação dos Estúdios, que inicia suas atividades ainda este ano, de forma provisória, no Cenforpe.

Havia planos de revitalizar o centro para ele voltar a ser um estúdio antes de vir a ideia de transformá-lo em centro cultural?
O Vera Cruz foi objeto de muitas propostas no passado, mas nenhuma delas concretizada. Somente em 2009, com o início da atual administração municipal, o complexo ganhou um projeto completo de recuperação e revitalização dos estúdios, visando não somente o retorno das gravações de filmes, mas também a criação de uma cadeia de ações formativas, produtivas e de fomento à indústria audiovisual como um todo, transformando São Bernardo do Campo numa cidade referência no setor.

Quando o centro cultural será inaugurado?
Não há data prevista para a entrega total de todos os programas, mas o Centro de Formação Audiovisual, primeira etapa prevista, deverá ser entregue ainda este ano.

De quem foi a ideia?
O projeto de revitalização foi elaborado pela equipe de governo do município, no ano de 2009, em cumprimento ao plano de governo apresentado para a população.

Qual é o objetivo desse novo centro cultural? Está relacionado ao passado do Vera Cruz como polo de produção cinematográfica?
O Objetivo é transformar o espaço num centro de referência irradiador de cultura audiovisual, proporcionando os meios necessários para a estruturação de uma cadeia econômica ligada ao cinema e demais linguagens correlatas, e promover a inserção da cidade no mapa da produção nacional, estimulando e oportunizando aos munícipes a participação nesse processo criativo e mercadológico.

Quais serão os cursos oferecidos?
Inicialmente, o Centro de Formação Audiovisual oferecerá os cursos de Cine/TV e Cinema de Animação, com duração de três semestres, cujo período de inscrições para interessados será anunciado em breve.

O que as pessoas da cidade que são interessadas por cinema podem esperar desse projeto quando ele estiver concretizado?
Podem esperar por uma série de oportunidades na linguagem audiovisual, onde tanto a arte quanto a técnica envolvidas na produção de conteúdos serão contempladas, criando na cidade um grande movimento de formação e realização cinematográfica.

Confira um trecho de O Cangaceiro:


Confira um trecho de Sinhá Moça, ganhador de menções honrosas no Festival de Veneza de 1953 e no Festival de Berlim de 1954:


---

Agradecimentos: à minha professora de linguagem de impresso, Margarete Vieira Pedro, por ter me passado a pauta, e à Prefeitura de São Bernardo do Campo e às secretarias de Cultura e Comunicação, por terem topado em participar da entrevista publicada neste blog, ou seja, mídia espontânea, nada de renome. Obrigado de verdade!

Nenhum comentário: